Uma longa jornada

Ah, Nicholas Sparks! S2

Ele não se cansa de nos surpreender com seus romances. Quando a gente acha que já não tem mais maneiras de se apaixonar, ele vai lá e “Tchan-nã-nã-nã”: nos apresenta um mega cowboy-romântico-cavalheiro para estar na nossa lista de paixões literárias.

Eu amo ler por lidar com a imaginação, por poder criar em minha mente os cenários e personagens perfeitos, mas confesso que não consegui imaginar um cowboy melhor que o Scott Eastwood para interpretar o Luke Collins. Para isso que servem os filmes, para mostrar que, além de fofos, românticos, cavalheiros, dentre outros elogios, os homens protagonistas dos livros de Nicholas Sparks também são lindos. E eu agradeço muito por isso, e meus olhos também. Hahaha.

Embora eu ache que os filmes nem sempre são fiéis aos livros, eu parei de julgar e passei a apreciar o filme, afinal o livro é uma inspiração, e o filme nunca sai como imaginamos mesmo. Ou seja, o filme é a forma que alguém imaginou toda a história e, às vezes – quase sempre- iremos preferir o livro, assim como também às vezes podemos preferir o filme.

Hoje eu vou falar sobre o filme:

Uma longa jornada conta a história de Luke Collins, um cowboy que vive para montar touros e sonha em estar entre os melhores do mundo, e então poder chegar a final da competição e se tornar um campeão mundial. A história conta também sobre Sophia, interpretada por Britt Robertson, que estuda artes e quer trabalhar em um grande Museu em Nova York. Eles se apaixonam perdidamente e tentam se encaixar um no mundo do outro, mas não é tão fácil assim.

Dentro dessa história é contada também uma outra história de um outro casal: Ruth e Ira Levinson. Ira, que é um senhor viúvo, sofreu um acidente de carro e foi salvo por Luke e Sophia. Ele e Sophia tornaram-se amigos e a sua vida é contada através das cartas lidas por ela. Cartas essas que Ira escrevera para Ruth durante toda a sua vida, até a morte. O casal também teve dificuldades para se adaptar a vida um do outro, já que Ruth queria ter filhos e Ira não podia, mas no final, eles perceberam que era melhor celebrar as coisas que tinham do que se frustrar por algo que não tinham. No fim, após o falecimento de Ira, Luke e Sophia se reencontram e a vida decide que o destino deles é ficarem juntos.

A mensagem desse filme/livro é que o amor exige sacrifícios. Se adaptar à vida do parceiro é um sacrifício. Assim como aceitar os seus defeitos. Quando você ama alguém, você pensa na felicidade da pessoa independente da felicidade dela ser estar com você ou não. Quando se ama alguém, você não precisa mudar toda a sua vida, mas sim se adaptar ao mundo dela, assim como ela se adaptará ao seu mundo. Quando se ama alguém e é recíproco, vocês devem fazer o que tiver ao alcance para dar certo , e se for para dar certo, a vida trata de dar sinais e alertas para isso.

O filme conta com uma bela trilha sonora, dentre as músicas estão “Wildfire – Seafret” e “Desire – Ryan Adams”.

Espero que gostem!

Larissa Lisboa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s