Fomos serenos num mundo veloz

Foram necessários três encontros para que rolasse o primeiro beijo, e mais dois para que andássemos de mãos dadas. Mas eu já tinha me apaixonado no primeiro encontro.

Foram precisos três meses para que o pedido de namoro acontecesse, mas eu já teria aceitado no quinto encontro, quando entrelaçou sua mão na minha, me aconchegando em seu coração.

Valorizamos mais o tempo que passamos juntos do que o tempo gasto trocando mensagens, e éramos bons nisso. Muitos achavam que estávamos sendo calmos demais, mas mal sabem eles a velocidade que batia o meu coração a cada vez que o seu sorriso vinha em minha direção.

O tão esperado “eu te amo” só rolou no aniversário de um ano de namoro, e dessa vez eu concordei com o tempo. E concordei com todas as coisas que aconteceram a partir daí, até mesmo com o nosso fim.

Fomos serenos num mundo veloz, e demos certo por isso. Nos conhecemos aos poucos, não tivemos pressa para nada, nem para fazer ou para dizer algo, e o naturalmente se fez presente até quando pode. Mas, infelizmente, a serenidade não conseguiu acompanhar a velocidade da vida por muito tempo, e decidimos terminar.

Nós não fraquejamos e sabemos disso, só que as coisas acontecem como tem que acontecer. A sua proposta de emprego era irrecusável e a minha vida ainda estava presa aqui, e por mais que eu quisesse ter você aqui comigo, e por mais que você tivesse indeciso, eu não podia impedir o seu sucesso. Eu não podia ser egoísta pedindo para você ficar, mesmo sabendo que você também queria ficar, mas que também queria arriscar e se entregar a oportunidade. Eu não podia interferir no seu sonho, tampouco na sua felicidade, mesmo que ela doesse um pouco. Até porque se você não estivesse feliz, qual sorriso seria o motivo de meu coração palpitar tanto? E você também não sentia que era justo eu mudar minha vida nesse momento para seguir em frente com você, e então nós não fomos egoístas e nos libertamos.

Você se foi, trilhando o seu novo caminho e eu fiquei aqui, construindo um trem. Quem sabe um dia a gente se esbarra por aí, com a serenidade e a velocidade na mesma proporção? Mas, por enquanto, a única coisa que prezo é a velocidade da internet para receber a sua mensagem,e a velocidade do tempo para que nos aproxime outra vez. Porque, sinceramente, por mais que eu tenha aceitado o fim, bem aqui no fundo, o que eu mais queria era voltar para o primeiro encontro e me apaixonar novamente pelos seus olhos gentis, e depois voltar para o terceiro encontro e sentir mais uma vez o doce gosto do seu beijo. Dar uma espiada no quinto encontro quando o calor das suas mãos me aconchegou em seu coração e, por fim, ouvir mais uma vez você sussurrar que me ama e eternizar aquele momento.

Bom, o meu trem já está pronto, esperando você dar a permissão para ele trilhar até a estação em que o nosso amor desceu.

Larissa Lisboa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s