Eu sou a ansiedade

A agitação percorre pelo meu corpo

Inquietando a minha mente,

Deixando minhas pernas impacientes

De tanto caminhar.

Clamo por socorro

Em meio ao alvoroço emocional

Que se estabeleceu em meu interior.

Os olhos já estão cansados

De ver o mesmo reflexo cabisbaixo

De sempre

E as palavras já não mais me confortam

Mediante a angústia que faz soar

Cada sílaba dita.

Pensar no amanhã me deixa aflita,

Tornando as horas apreensivas,

Me afastando do que quero ser

E me aproximando do que eu mais temo…

Me descubro como ansiedade!

E em meu leito suplico

Pelo começo de um novo dia

Que não desconforte o meu interior.

Larissa Lisboa.

Um comentário em “Eu sou a ansiedade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s